18.9.10

Ainda sob efeito de Inception

Lendo sobre objetos impossíveis e outros que parecem impossíveis, mas não são, vejo passar na parede atrás do monitor uma aranha de proporções aparentemente impossíveis (corpo tão pequeno que quase não se vê, pernas finas porém mais longas que dedos humanos).

Mais do que o bicho em si, causa estranheza o fato de que não tinha como ela chegar àquele ponto sem ser vista (tudo é branco e liso ao redor) e o sumiço tão súbito quanto o surgimento: num piscar de olhos, correu pela parede até o espaço oculto pelo monitor; levantei pra olhar sem tirar os olhos da parece e não havia sinal da criatura.

Agora continuo ouvindo Piaf no repeat (desde o início da pesquisa dos objetos inceptianos) e começarei a buscar artigos sobre animais impossíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário