26.5.09

A fé do consumidor

A negociação entre vendedor e comprador é um contrato de confiança. O consumidor oferece dinheiro (ou coisa equivalente) e o lojista oferece o produto. Se a compra é feita através de meio fraudulento (dinheiro falso, cheque sem fundo), o consumidor está agindo de má-fé. Se o vendedor entrega um produto de baixa qualidade ou de valor abusivo, aí a má-fé é dele.

E em casos como o da Fnac Online? O Procon-SP diz que os clientes "agiram de má fé" (SIC) e que não há problema do site em cancelar as vendas em virtude de um erro no site. Será mesmo?

Que foi erro no site é óbvio, mas cancelar é ridículo! Se anunciou, tem que cumprir. Se o sistema deu erro, que a loja tome o prejuízo e compre/construa um sistema melhor. Senão as lojas vão usar "erro no sistema" como desculpa pra sempre prejudicar o consumidor, o elo mais fraco dessa transação.

Desculpe, senhora, sei que a etiqueta de preço apresenta um valor mais baixo, mas foi um erro de impressão, não era bem isso que queríamos dizer, o que vale é o valor que aparece aqui na máquina e que você só está vendo na hora de pagar.

Assim não há confiança que resista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário