1.11.05

Reencontros

Um dia estranho. E corrido. Estranho porque corrido, talvez. E correndo de um lado pro outro, reencontrei pessoas do passado. Algumas a uma década de distância, outras do outro dia mesmo. Algumas me viram, outras não, uma com certeza fingiu não ver. Uns falaram comigo, falei com outros, mas nem todos (afinal, era o dia da correria).

Engraçado que alguém tenha sido tão próximo e agora a proximidade parece tão distante, algo de outra vida, a vida de outra pessoa, uma que você viu num filme, quem sabe.

Enquanto outros surgem das névoas poluídas da memória, a incógnita como nome ("Era com R? Ou com M?"), alguém que não é um amigo e não é um estranho, alguém simplesmente legal. Daí vem a lembrança da (única) risada que já dividiram e todo aquele desejo de "legaltevercomovocêtátásumidotudodebompravocê" pra alguém que você mal conhece é resumido numa exclamação que escapa antes que se perceba "CARA!". E só.

Adeus, vidas tangenciais. E até amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário