9.10.05

F-1 ou 1-F

Na madrugada de sábado, o clima propiciou uma situação muito interessante na classificação para o grid de largada da Fórmula-1. Como esperado, as equipes menores fizeram tempos ruins, enquanto que as equipes médias fizeram tempos um pouco melhores. Porém, antes dos grandes entrarem, caiu um toró em Suzuka que fez entrar água nos planos das equipes de ponta.

Com isso, o grid passou a apresentar uma situação incomum: equipes médias na frente, equipes de ponta logo atrás. As duas possibilidades de corrida passaram a depender da previsão do tempo, a mesma que acertadamente disse que choveria nos últimos minutos do treino de classificação: se chovesse, teríamos uma corrida propensa a acidentes e lances espetacularmente perigosos, algo interessante para o público, porém não muito esportivo; no caso de céu claro (o palpite dos bons meteorologistas japoneses), seria uma corrida de recuperação para os grandes, com muitas ultrapassagens e disputas por posições.

Domingo de sol (lá, pois aqui ainda era madrugada), a corrida ocorre como esperado ou até melhor. Grandes ultrapassagens, acidentes sem feridos, o trabalho nos boxes ajudando a ganhar posições, tudo o que uma corrida automobilística tem de mais empolgante. Um grande prêmio muito interessante, tanto pra quem vê quanto pros competidores. Com direito a uma fantástica ultrapassagem na penúltima volta que valeu o primeiro lugar. Entre as corridas que vi esse ano (metade do campeonato, acho), essa foi sem dúvida a melhor. O que faz pensar...

Será que não seria interessante se os carros de ponta saíssem sempre de trás? Como em alguns videogames em que não há um treino de classificação e a ordem do grid na corrida seguinte é simplesmente a ordem invertida de chegada do GP anterior? Sei que um dos grandes atrativos da F1 ao longo dos anos foram os treinos de classificação, onde podíamos acompanhar o máximo desempenho do conjunto piloto+carro numa pista vazia. Ayrton Senna era um especialista nesse tipo de desafio, sempre procurando a volta perfeita. Nos últimos anos, entretanto, as limitações da categoria (sejam financeiras, sejam as do regulamento) tornaram a classificação um evento burocrático, sonolento até. Não seria o momento de trocar um treino chato e uma corrida pouco empolgante por um único espetáculo disputado e imprevisível, onde os bons pilotos teriam constantemente a chance de provar que são realmente bons? O público certamente agradeceria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário