25.7.05

Queres conhecer o Inácio, coloca-o num palácio

O espírito do homem de bem acaba por chegar a seus limites, o que se expressa em dezenas de formas, até mesmo evitando esses assuntos, por uma questão de sobrevivência psicológica e emocional, pois, afinal, para muitos, já soçobraram os valores, as crenças e os padrões incorporados à sua formação, o que pode tornar a vida insuportável.

O trecho acima é da coluna do xará Ubaldo, publicada esse domingo n'O Globo.
Apesar de não concordar com alguns termos (o "homem de bem", por exemplo, parece um ser mitológico, podendo ser trocado por "homem comum" ou "cidadão médio"), o colunista diz com todas as palavras (pelo menos todas as necessárias) o que estamos pensando nesse momento delicado. O texto completo pode/deve ser lido clicando aqui (precisa ser cadastrado pra ler).

Nenhum comentário:

Postar um comentário