7.4.03

Mr. Cellophane

É de conhecimento geral a existência de pessoas invisíveis. Nós, cidadãos privilegiados, fingimos não enxergar os menos favorecidos que nós, participamos de um "Natal Sem Fome" ou outra campanha do tipo e ficamos com a consciência limpa.
Mas também existe outro tipo de pessoa invisível. É aquele cara que não chama a atenção nem quando se está próximo a ele. Alguns invisíveis nem sabem que o são. Outros, como o Amos Hart de "Chicago", sabem e sofrem com isso. Provavelmente sou dos poucos que sabe e acha legal. Talvez por ser só parcialmente invisível, já que (felizmente/infelizmente) as pessoas mais próximas percebem a minha presença. Tais pessoas certamente já perceberam em mim algo a mais (ou a menos) que no homem normal. Sim, porque, ao contrário do que diz a "sabedoria" popular, existem homens normais. E é justamente a normalidade que faz deles homens medíocres, homens medianos, portanto invisíveis. Por isso não percebemos Amos andando triste pelas ruas da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário