4.2.03

Revolução (de pensamento) ou golpe (de marketing)?

Engraçado o pessoal de esquerda falar de "revolução" em Cuba, quando o que ocorreu foi o chamado "golpe de Estado". É um posicionamento que lembra o dos militares que comandaram o Brasil durante 20 anos chamando o golpe de 64 de "Revolução de 64".
Golpe de Estado é, a grosso modo, a derrubada de um governo por determinadas forças (que podem ser populares, militares, políticas, empresariais) com a subseqüente formação de um governo ditatorial (geralmente militar). Se os motivos e as conseqüências dos golpes cubano e brasileiro são (muito) diferentes, é devido às pessoas e aos valores envolvidos.
No entanto, acobertar o levante de um regime ditatorial através da florida palavra "revolução", repleta de significados positivos, é ocultar a verdade mais simples: houve um golpe de Estado no Brasil e (acreditem se quiser!) houve um golpe de Estado em Cuba. O fato deste último golpe continuar sendo chamado de "Revolução Cubana" por todos os "reprodutores de discursos" é a prova cabal da afirmação "a história é escrita pelos vencedores".

Nenhum comentário:

Postar um comentário