23.8.02

Hipérbole imagética

O novo comercial do desodorante Axe: aparece um homem novo. Ele passa Axe pelo corpo. Uma mulher o agarra (é o já famoso "efeito Axe"). Enquanto isso, um pequeno mosquito pica o homem. Um sapo engole o mosquito. O sapo e a sapa transam (efeito Axe). As pernas do sapo são servidas a um velho num restaurante chique. Uma mulher nova agarra o velho (efeito Axe). Ele morre enquanto transa. Um verme come as carnes do cadáver do coroa. O verme vai parar naquelas garrafas de tequila mexicana. Um cara bebe a tequila e atrai mais mulheres. Tudo isso ao som de "Love is in the air". Entra o narrador: "Axe nova fórmula. Agora com efeito prolongado."
Alguém mais além de mim achou isso um pouquinho exagerado?
Entretanto, há de se reconhecer que o comercial é muito divertido e a narrativa é muito bem bolada. É um daqueles casos em que o anúncio é tão absurdo que chega a ser legal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário