24.6.02

Já vi isso antes...

Olha que semana "bacana".
- Segunda: entrega de trabalho.
- Terça: prova de economia.
- Quarta: jogo do Brasil.
- Quinta: prova de economia.
- Sexta: entrega de trabalho.
Minha semana déjà vu!

22.6.02

Vida de Faca

Todos os piratas foram presos. Depois de saquear vários navios e pequenos povoados litorâneos, estavam respondendo a um violento interrogatório promovido pelas nada gentis tropas inglesas.
Um a um, os prisioneiros contavam suas histórias e seus crimes. Uma pergunta incomum se repetia em todas as "entrevistas": por que, com tantas habilidades em navegação e combate, você se tornou um pirata?
A resposta mais freqüente era a busca pelos grandes ganhos da "profissão". Alguns diziam ter ingressado esse modo de vida por vingança, outros declaravam estar fugindo de dívidas em terra firme.
Somente um dos criminosos do mar confessou a verdade, cantarolando, na língua de seus captores, uma antiga cantiga (que por acaso tem o ritmo de "I Love The Nightlife", a famosa música dos anos 70) sobre a emoção de ser um pirata. Baixinho, ele cantava "I love the knifelife, I wanna cut ya..."

21.6.02

O Comedor ONU

Que Stallone que nada, Reynaldo Gianecchini é o verdadeiro garanhão italiano.
Depois de faturar a virgem Maria logo no primeiro capítulo, o namorado da Gabi parte em busca de novas aventuras no Brasil. Segundo a sinopse da novela, ele fica dividido entre a italianinha de sua terra natal (a famosa "comida de casa"), a filha brasileira de um italiano e uma judia de sotaque francês. Mas parece que uma filha de espanhóis também se tornou um alvo para o apetite multinacional do rapaz. A Globo parece ter achado na década de 30 o primeiro "pegador globalizado".
Imigrantes, tremei; o Comedor ONU vem aí.