3.9.01

PAM!

Quem freqüenta isso aqui (Há! Que piada! Até parece que alguém lê esse lixo...), sabe que costumo dar uma opinião a respeito dos filmes a que assisto. Dessa vez, entretanto, a opinião é sobre um pequenos mecanismo dos filmes de suspense: o PAM!

Comentava isso com minha respectiva ao assistir O Dom da Premonição, aliás, um filme muito bom! Porém, mesmo sendo bom, não escapa do velho mecanismo. Devo dizer que não é nada de tão elaborado, apesar de ser extremamente eficaz. Consiste no seguinte: o filme rola normalmente, mas na hora em que o personagem entra num momento "tenso" do filme, entra a famosa "musiquinha de suspense" que vem baixinha, quase imperceptível, dando o clima de agonia para a cena, até que... "PAM!"

Perceberam agora? Seja alguém com uma faca ou uma caveira que sai da cova, sempre rola aquele efeito sonoro pra provocar o susto. No filme em questão, esse efeito nem era necessário, pois os sustos são bem planejados. Mas estou cansado de ver filmes de suspense onde o susto não vem da trama e sim do manjado efeito sonoro. Dá até raiva: "Não acredito que tomei um susto com essa cena fraca! Só por causa desse maldito 'PAM!' no meu ouvido..."

Não quero derrubar uma prática tão difundida no gênero de suspense, mas, pra mim, colocar o PAM num filme é admitir que o diretor não sabe armar um bom susto só com o som natural da trama, demonstrando para o espectador um certo grau de incompetência. Afinal, se o PAM fosse um barulho criativo, o Windows não faria uso dele quando você comete um erro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário