15.9.01

MIB 2: Conseqüências da tragédia

Ontem falei sobre as mudanças no filme do Homem-Aranha causadas pela tragédia da última terça. Pois hoje surgiram mais conseqüências cinematográficas.

O esperado retorno de um dos melhores filmes da década de 90 foi seriamente prejudicado pela destruição das Torres Gêmeas. Men in Black 2 usaria o World Trade Center em suas seqüências de abertura e de encerramento.

Agora o roteiro está sendo refeito às pressas para que não se perca o capital e o ritmo de produção do filme. É mais uma baixa na indústria que é sem dúvida o melhor da cultura norte-americana.

Vergonha ou homenagem

Acho besteira essa coisa de remover a imagem das Twin Towers dos filmes ainda em produção. Se eles filmaram o prédio quando ainda estava inteiro, então por que nao colocar no filme?

Desde que não mostrem as torres sendo explodidas no filme (o que seria de extremo mau-gosto), acho que não tem nada de mais em mostrar as torres. Acho que seria até uma homenagem, uma imagem "póstuma" de um cartão-postal que não existe mais. Imaginem como os povos antigos valorizariam um "retrato em movimento" de uma das Maravilhas destruídas por catástrofes naturais...

Na realidade, isso deve ter a ver com a mania que os americanos têm de esconder suas derrotas nacionais. Por causa dessa triste neurose, os Estados Unidos são esse país prepotente, ufanista, porém cheio de esqueletos trancados no armário.

E devido a isso, diversos filmes que poderiam ser fodões (e ainda prestar uma homenagem a um dos símbolos de NY) acabam sendo prejudicados pela insanidade de terroristas e pela tola vaidade americana. Triste, realmente triste...

Realidade ou ficção

Já que a temática de hoje é cinema e tragédia, vou indicar dois textos excelentes que falam sobre os dois assuntos. Ambos saíram em O Globo de hoje. Um deles é do Luis Fernando Verissimo, mostrando que efeitos especiais de cinema estão obsoletos perto do que acontece diante dos olhos. O outro texto é da Ana Maria Bahiana, expondo a visão de Hollywood sobre a cena real mais cinematográfica de todos os tempos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário