23.8.01

Saindo da toca

Finalmente saí de casa e resolvi aparecer na faculdade. Alguns pensaram que havia largado. Quem me conhece sabe que fui abduzido pela preguiça, sendo libertado somente na manhã dessa quarta. Cheguei atrasado pra primeira aula (normal!), não houve a segunda aula (normal!!) e fiquei esperando a terceira aula jogando sueca (normal!!!). Quer saber? Acho que fui enganado; me colocaram no primeiro período novamente. Droga!

Memórias

O filme Memórias Póstumas de Brás Cubas pode não ser nenhuma revolução do gênero (e não é!), mas consegue manter grande fidelidade ao humor cheio de ironia que Machado de Assis usa no livro.

Devo confessar que não li todo o romance, apenas algumas passagens mais importantes. Portanto, não sou a pessoa mais indicada pra falar sobre o filme. Só que essa porcaria é minha e falo o que quiser, já que ninguém lê mesmo.

Gostei do filme. Todos os elementos principais estão lá, retratados fielmente, inclusive a dedicatória ao verme. E todas as deliciosas frases de efeito de Machado, frases que se tornaram (merecidamente) célebres pelos anos de uso.

Vale a pena conferir esse belo trabalho do cinema nacional valorizando a literatura brasileira. É realmente bem divertido. Acabei rindo até dos trechos que já conhecia. Único ponto negativo: se você der o azar de sentar do lado de um daqueles vestibulandos que estão vendo o filme pra tentar entender o livro. Lamentável...

Nenhum comentário:

Postar um comentário